22 Anos ; Livros, Séries, Filmes & Músicas - : Contacto: culturadeescape@gmail.com


09 janeiro 2017

O Parneseanismo em "A Musa Alentejana" do Conde de Mosaraz

Detalhes da Obra:


Título: A Musa Alentejana / Lira de Outono | Autoria: Conde de Mosaraz Capa: Mole | Editora: Livraria Ferin Ano de edição: 1955 | Páginas: 234 | Idioma: Português | ISBN: ___

Sinopse:


Obras do Conde de Monsaraz, é uma obra composta por três volumes e foi publicada anos depois das comemorações do centenário do nascimento deste liberal, de nome António Macedo Papança. Papança era formado em Direito, foi militante do Partido Progressista e par do Reino, para além de um exímio poeta. O terceiro volume das Obras do Conde de Monsaraz é composto pelas obras Musa Alentejana, Lira de Outono - Poemas do Alentejo e alguns Versos Dispersos. Estas obras foram originalmente editadas em 1908 e 1909 respectivamente, sendo ambas dedicadas à temática do Alentejo. ).
 
Opinião:

           O Conde de Mosaraz é um escritor campestre que distingue-se completamente dos conterrâneos escritores do período do Parnasianismo. Recorrendo à um uso constante da comoção desmedida, o poeta cria uma literatura própria que penetra na lírica do regionalismo e descreve de forma paisagística o Alentejo perdido.
           Com raízes nos "Papanças", Monsaraz deixa a sua marca através da sua escrita e o canto à terra Natal, às lembranças da infância. Recorrendo a populismos, o escritor exalta poemas aos mortos e vivos, às fainas, às tragédias e à desgraça humana. Com uma ligação muito fiel à religião, destaca em grande parte dos seus poemas a sua devoção para com Deus e a bíblia, bem como descreve com pálida melancolia a vida de um pastor no campo.
           Recorrendo a constantes analogias, personificações, descrições desmedidas, intertextos, o escritor dá-nos um testamento muito fiel do que é a vida no campo, o apego à terra, o amor à natureza e aos animais, e a harmoniosa sensação de estar vivo no campo.

1 comentário: