22 Anos ; Livros, Séries, Filmes & Músicas - : Contacto: culturadeescape@gmail.com


21 novembro 2016

Sobrevalorização em Patrick Süskind - O Contrabaixo

     
Detalhes da Obra:

Título: O Contrabaixo | Autoria: Patrick Süskind | Tradução: Anabela Mendes | Capa: Mole | Editora: Quidnovi | Colecção: Biblioteca de Verão #8 | Ano de edição: 2010 | Páginas: 96 | Idioma: Português| ISBN: 9789895547470

Sinopse:



           Obra de referência escrita em 1980, narra a vivência de um contrabaixista de uma orquestra nacional alemã no seu pequeno quarto. A personagem confidencia com os leitores ironias, sarcasmos, o amor secreto por uma cantora de ópera e aborda a história da música e dos músicos.
 
Opinião:


O livro de Patrick Süskind apropria-se de um objeto para narrar a história de um contrabaixista, as dificuldades e exigências de seguir uma profissão não muito valorizada na época em que a narrativa decorre. Destacando-se como um emprego sobrevalorizado, o contrabaixista faz críticas a Goethe e outros artistas ( Mozart que desde criança foi obrigado a compor, algo que atualmente é considerado exploração infantil ), porque só quem tinha poder monetário, poderia lucrar em profissões semelhantes à sua.
O contrabaixo é um instrumento não muito abordado ao nível dos meios de comunicação por não ser algo de aplausível visão ou harmonia. Ao elogiar o instrumento com tamanho vigor, o narrador afirma com precisão que o contrabaixo é o maior instrumento de todos, não precisa de mais ninguém para brilhar, nem de maestros, nem de saxofonistas, é uma autêntica obra de arte. O caminho faz-se caminho, e ele afirma com firmeza que se tivesse nascido na época de outros artistas (uns cem anos atrás), teria o sucesso que merecia, devido à escassa concorrência.
O livro vem de igual modo retratar o romance platónico que ele tem por Sara, pela qual tece diversos comentários ao longo da narrativa. O contrabaixista sente ciúmes de alguém que não lhe pertence, visto que a mulher o fez cativo, e o contrabaixo é um empecilho para qualquer relação.
Para quem é fã de música ou toca algum instrumento, esta é uma obra de inspiração, retratando os vícios bem como destacando quais são os instrumentos mais valorizados na panóplia musical.

2 comentários:

  1. Amigo Agostinho fico feliz por ter aceite o meu convite,creio que é o primeiro seguidor da grande Pérola de Portugal.Vejo que também gosta de poesia, se desejar visite A Verdade Em Poesia, um blog só de poemas um pouco diferentes.
    Tudo de bom.
    António.

    ResponderEliminar