22 Anos ; Livros, Séries, Filmes & Músicas - : Contacto: culturadeescape@gmail.com


30 novembro 2016

Ex Machina e o Controle da Raça Humana

Ficha técnica:

Título: Ex Machina : Instinto Artificial
Ano Produção & Estreia: 2015
Direção: Alex Garland 
Duração: 108 minutos
Género: Drama ; Ficção Científica ; Mistério ; Thriller
País de Origem: Reino Unido
Classificação: ★★★★
 
Sinopse:
Em um refúgio nas montanhas de um talentoso bilionário da internet, um jovem participa de uma estranha experiência: testar a inteligência artificial, inserida no corpo de uma bela garota robô. Mas a experiência se torna uma sinistra batalha psicológica: um triângulo amoroso, onde a lealdade está dividida entre homem e máquina.
Opinião:
Tal como é possível observar pela imagem, Ex Machina, vai retratar a história de um robot quase que perfeitamente programado por um bilionário da internet. Como em diversos filmes que abordam a temática entre máquinas e humanos, esta recriação retratará de igual modo as consequências de criar um robot. Este é o perfeito exemplo de como é perigoso dar uma mentalidade artificial a um robot, ele começa a pensar em teorias para livrar-se da raça humana como é bem visível neste filme. O protótipo "controlado", revolta-se contra o mestre criador, controla e engana propositadamente o ser humano de forma a poder escapar e tornar-se "um de nós". Para fãs de ficção cientifica é um filme que acrescenta um pouco ao mundo cinéfilo, visto que parece ser algo bem real e plausível de acontecer.


29 novembro 2016

Noah Cyrus, a irmã da Miley


Os genes parece que realmente influenciam os comportamentos, e Noah Cyrus é um bom exemplo disso. Acostumada a fazer parte de uma família "pública", com uma irmã e pai famosos, a atriz e cantora decidiu seguir o rumo da sua irmã e entrou para o mundo do espetáculo. A sonoridade vocal da cantora assemelha-se muito à de Miley Cyrus, ou talvez será por a ouvirmos tendo consciência de que ela é parente. Acho que esta é uma boa aposta para a industria discográfica e com certeza será uma artista de sucesso.

28 novembro 2016

O suspense romântico - Oscar Wilde - O Fantasma dos Canterville


Detalhes da Obra:



Título: O fantasma dos Canterville | Autoria: Oscar Wilde | Tradução: - | Capa: Mole | Editora: Diário de Notícias | Colecção: Biblioteca de Verão | Ano de edição: 2000 | Páginas: 95 | Idioma: Português| ISBN: 8481302376

Sinopse:


O conto de Oscar Wilde aborda a mudança de uma família americana para uma mansão britânica  em Canterville Chase, cuja dizem estar assombrada por um fantasma. A família recusa-se a acreditar nisso, e Wilde trata de comentar a forma que os americanos lidam com as "lendas". "O fantasma dos Canterville" tal como os outros contos nesta obra , apresentam diversas alusões ao invisível, mas termina sempre de uma forma romântico-sentimental.
Opinião:


Oscar Wilde nunca desilude com a sua escrita harmónica e rica em conteúdo e ornamentos estilísticos. Fazendo uso da personificação, o escritor dá voz a foguetes, a plantas, a animais e  os faz agirem como se fossem seres humanos que dialogam entre si. O escritor consegue e bem captar a essência de cada personagem e desenvolve ensinamentos em cada narrativa que se propõe a escrever, e este livro não é exceção.
Neste livro é possível captar diversos ensinamentos, tais como:
1. Nem tudo é o que parece ser, às vezes julgamos as pessoas pelas aparências e comportamentos, e quando entramos em contacto com a realidade apercebemo-nos de que erramos ao afirmar algo que não era verdade ("A esfinge sem segredo").
2. Estar sempre atento aos engodos da vida, por vezes julgamos que temos as situações controladas, mas somos levados pelos vícios e acabamos perdendo o rumo e até a própria vida - se temos o que queremos, não devemos ir atrás de algo por puro capricho (O Pescador e a sua alma).
3. A vida é frágil, tentamos muito e conseguimos pouco, e isso por vez deve-se ao desgaste  e ao desejo de "partir", sem pensar em nada.
4. Não devemos desvalorizar o papel que cada um tem no mundo, somos frágeis, somos humanos, estamos vivos e merecemos reconhecimento. ("O fantasma de Canterville")
Um livro para pensar, refletir e sonhar. Não desilude!

27 novembro 2016

Segundos. pequenos, minutos constantes

http://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwi83rD95cnQAhWDvBoKHZrCA7sQjRwIBw&url=http%3A%2F%2Fmedidadoencantamento.tumblr.com%2Fpost%2F126612935546%2Ftem-homens-que-curtem-bem-a-tend%25C3%25AAncia-minimalista&psig=AFQjCNFFvhNEOoJ9CY2mXHza2YukAxjFrA&ust=1480365503796871
É um clique atrás de clique, o relógio que se mexe, pequenas teclas, sons constantes, murmúrios que soam no meu ouvido. São sons que provocam , vibram, sons que batem lá no fundo do meu ser. As horas passam, os segundos voam e a cada instante um momento que escasseia. Os dias perdem-se, pensando, sonhando, querendo e não lutando, minutos que correm e não voltam, vida que foi e não regressou. A vida passa tão depressa e não nos damos de conta dos toques constantes. Perdemos tanto tempo com coisas vulgares e fúteis e não aproveitamos o pouco, o sincero, o útil. Esquecemos-nos dos momentos e memórias e cingimos-nos ao básico, não arriscamos, não lutamos com o medo de cair. Somos seres pequenos que duvidam, não insistem em ir mais além , ficamos pelo pouco, pelo seguro. O tempo é cru e ruim e não pára nem por um momento e quando acordamos para a vida, normalmente já é tarde de mais. Vive o segundo, aproveita minuto, cresce com a hora e lembra cada dia com um sorriso de realização pessoal.

26 novembro 2016

Cultura Poética - Oh Mar!

https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwj5wom3y7XQAhXDsxQKHRu0D8gQjRwIBw&url=https%3A%2F%2Fwww.tumblr.com%2Ftagged%2Ffez-se%2Bmar&bvm=bv.139250283,d.d24&psig=AFQjCNH6nBnMFc94D-ZNlKJWWXv0fmJ6TQ&ust=1479671315458167

Mar, que corre,
mergulha e penetra
queima com dor
a pele humildemente fria.

Escorre, abana,
Salta e percorre,
entra com enorme calma
neste espaço que te acolhe.

Infiltra, integra
esvoaça e desliza 
nesta gigante pedra
que paixão simboliza.

Sobe e desce,
com plena emoção,
Dignamente cresce
neste pequeno coração.

Sonhei, vivi e cresci
E com um sorriso feliz 
Ao amor me entreguei.

oh mar, afinal és azul
mais azul que o brilho do meu olhar
que beijou teus olhos
numa noite de luar.

25 novembro 2016

Indescritível

http://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwipg5-95MTQAhWLcBoKHS7aBwcQjRwIBw&url=http%3A%2F%2Fimpfashion.com%2Ftumblr-love%2F&psig=AFQjCNFzHTDn3kfnDgsNfQfr0ZMjSe5DnQ&ust=1480193453206001
 
São borbulhas, um friozinho no estômago, um aperto no coração. Quando perto sinto-me tão seguro, quando distancia-se perco-me na solidão. Espero até que chegues, desespero quando não apareces, sinto falta, falta de ti, mas não sei porquê, não entendo como.
 
Espero que voltes, espero mesmo.

24 novembro 2016

Na Era da Magia - Merlin

Ficha técnica:
Título: Merlin (1ª Temporada)
Ano Produção & Estreia: 2008
Direção: James Hayes ; James Hawes ; Jeremy Webb ; Stuart Orme ; David Moore
Duração: 572 minutos
Episódios: 13
Género: Ação ; Aventura
País de Origem: Reino Unido
Classificação: ★★★★★

Sinopse:
Merlin é uma série britânica do famoso canal BBC, a primeira temporada da série está dividada em 13 episódios. Conta a história do jovem e talentoso Merlin, que chega ao povoado de Camelot, onde a feitiçaria é castigada com a morte. Lá Merlin conhece Arthur, o filho do rei, é aí que Merlin começa a descobrir qual seu verdadeiro destino, a partir daí, Merlin se encontra frente a frente com personagens lendários e fantásticos.

Opinião:
              Merlin é uma série que toma por princípios factos históricos e reconta a história do rei Arthur e os cavaleiros da mesa redonda de uma forma dinâmica e interessante. A série vem através da ficção cientifica, centrar-se na figura do feiticeiro Merlin e a sua rotina como servente do rei Arthur, por quem prestava vassalagem e proteção. Perante uma sociedade que punia as artes mágicas, Merlin tenta manter os seus poderes secretos, usando-os de forma cuidada e oculta.
              Como em muitas das séries históricas existentes, esta não difere das outras no que concerne aos romances proibidos. "Merlin" denuncia as paixões e traições, relações entre patrões e empregadas, filhos bastardos e a divisão da sociedade da época (pobres miseráveis vs ricos em luxúrias inimagináveis). Como uma série “histórica”,  esta recriação ajuda-nos a compreender e interiorizar fatos históricos de uma forma simples e torna-se uma mais valia para o desenvolvimento interpessoal e ficcional. 

Aconselho vivamente.

23 novembro 2016

No espaço e mais além - Perdido em Marte

Ficha técnica:

Título: Perdido em Marte
Ano Produção & Estreia: 2015
Direção: Ridley Scott 
Duração: 144 minutos
Género: Aventura ; Drama ; Ficção Científica
País de Origem: Estados Unidos da América
Classificação: ★★★★★
 
Sinopse:
Durante uma missão a Marte, o astronauta Mark Watney (Matt Damon) é dado como morto após uma feroz tempestade e é deixado para trás por sua tripulação. Mas Watney sobrevive e encontra-se sem recursos e sozinho no planeta hostil. Apenas com suprimentos escassos, Watney deve contar com a sua criatividade, engenho e espírito para subsistir e encontrar uma maneira de sinalizar à Terra que está vivo. A milhões de quilômetros de distância, a NASA e uma equipe de cientistas internacionais trabalham incansavelmente para trazer "o marciano" de volta enquanto seus colegas de tripulação simultaneamente traçam uma ousada, se não impossível, missão de resgate. Conforme essas histórias de incrível bravura se desdobram, o mundo se une para torcer pelo retorno seguro de Watney.
Opinião:
Como ja fizeram tantos filmes de viagens no espaço, esta recriação deixa os espectadores com muitas espectativas. Perdido em Marte vem retratar a forma como o ser humano vive num local onde os níveis de oxigénio são demasiado diferentes aos do planeta Terra. O filme vem expor de forma humana os sentimentos causados pela solidão e revolta interior. Descreve a esperança de regresso a casa, as dificuldades  para combater a escassez de água e comida através da produção de alimentos em território infértil e a revolta por não conseguir fazer mais. Apesar de Perdido em Marte centrar-se em Mark Watney, o astronauta dado como morto inicialmente, a narrativa divide-se entre a nave que partiu sem ele após uma intensa tempestade, a vida de um homem sozinho num local onde não há vida e o centro de controle da NASA. Dadas as peripécias, e como em tantos outros filmes, este acaba tendo um final feliz, no qual após tanta persistência, Mark consegue voltar a casa são e salvo.

"This is why i came, to give everything up for one moment of pure wonder"

22 novembro 2016

CL e o K-POP


CL é um bom exemplo da volatilidade da industria discográfica de adaptação às época e ao público alvo. Do K(orean)-Pop para um registo que aproxima-se muito do estilo norte-americano, a cantora com Lifted quebra completamente com o passado e cria um estilo novo, diferente do que os fãs de K-Pop estavam habituados. Pode parecer mau, mas a artista tem que sentir-se bem no que faz. As pessoas evoluem e não podemos rotular ninguém, afinal de contas a industria discográfica exige mudanças, porque o normal com o decorrer do tempo enjoa. Com este novo rumo, CL atrairá novos fãs pela sua peculiaridade vocal bem como pelo "americanismo" musical que estamos habituados a ouvir.

21 novembro 2016

Sobrevalorização em Patrick Süskind - O Contrabaixo

     
Detalhes da Obra:

Título: O Contrabaixo | Autoria: Patrick Süskind | Tradução: Anabela Mendes | Capa: Mole | Editora: Quidnovi | Colecção: Biblioteca de Verão #8 | Ano de edição: 2010 | Páginas: 96 | Idioma: Português| ISBN: 9789895547470

Sinopse:



           Obra de referência escrita em 1980, narra a vivência de um contrabaixista de uma orquestra nacional alemã no seu pequeno quarto. A personagem confidencia com os leitores ironias, sarcasmos, o amor secreto por uma cantora de ópera e aborda a história da música e dos músicos.
 
Opinião:


O livro de Patrick Süskind apropria-se de um objeto para narrar a história de um contrabaixista, as dificuldades e exigências de seguir uma profissão não muito valorizada na época em que a narrativa decorre. Destacando-se como um emprego sobrevalorizado, o contrabaixista faz críticas a Goethe e outros artistas ( Mozart que desde criança foi obrigado a compor, algo que atualmente é considerado exploração infantil ), porque só quem tinha poder monetário, poderia lucrar em profissões semelhantes à sua.
O contrabaixo é um instrumento não muito abordado ao nível dos meios de comunicação por não ser algo de aplausível visão ou harmonia. Ao elogiar o instrumento com tamanho vigor, o narrador afirma com precisão que o contrabaixo é o maior instrumento de todos, não precisa de mais ninguém para brilhar, nem de maestros, nem de saxofonistas, é uma autêntica obra de arte. O caminho faz-se caminho, e ele afirma com firmeza que se tivesse nascido na época de outros artistas (uns cem anos atrás), teria o sucesso que merecia, devido à escassa concorrência.
O livro vem de igual modo retratar o romance platónico que ele tem por Sara, pela qual tece diversos comentários ao longo da narrativa. O contrabaixista sente ciúmes de alguém que não lhe pertence, visto que a mulher o fez cativo, e o contrabaixo é um empecilho para qualquer relação.
Para quem é fã de música ou toca algum instrumento, esta é uma obra de inspiração, retratando os vícios bem como destacando quais são os instrumentos mais valorizados na panóplia musical.

20 novembro 2016

Perdidos no Tempo : Alma

https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwjSm5T52rfQAhWJtxQKHY1cARwQjRwIBw&url=https%3A%2F%2Fwww.pinterest.com%2Fpin%2F366832332127425292%2F&psig=AFQjCNEPZp6H0yzQq4_nuYeDPjO0NSY2zg&ust=1479744206962486

Esqueci-me do mundo, perdi-me no tempo, estou inalterado, mantenho-me igual , quer física quer psicologicamente. Continuo preso ao passado e o presente continua a passar à velocidade que o meu corpo, a minha mente não sente . Perco-me facilmente, encontro-me raramente, esta alma está mais suja que um pano velho, mais gasta que um lápis de carvão e mais triste que uma lágrima no rosto. 

Não sou ninguém mas a mágoa, essa se mantém.

19 novembro 2016

Cultura Poética - Amor é

https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwibsKPSyrXQAhXLuBQKHQqUDM0QjRwIBw&url=https%3A%2F%2Fwww.tumblr.com%2Ftagged%2FLove&bvm=bv.139250283,d.d24&psig=AFQjCNHg9lzv_rBNfjdRMic9PnkR0C9gjA&ust=1479671000024904

Amor é a passagem da vida
Amor é o encanto de perdição
É viagem, é loucura

É vida que passa
sem qualquer direcção
É coisa que traça,
É como ver gaivotas a voar
É sentir, sonhar é saber amar...

18 novembro 2016

Pensamentos Perdidos

Simples e calorosas ondas que batem sobre meus pés. Pensamento distante, mente aberta , sorriso no rosto. Balanço para direita e para a esquerda como um barco no alto mar, sinto uma brisa suave que arrepia, me comanda, me conquista. Sinto paz , sinto esperança, sinto-me bem, só isso importa.

17 novembro 2016

Vale a pena assistir? WESTWORLD

Ficha técnica:

Título: Westworld (1ª Temporada)
Ano Produção & Estreia: 2016
Direção: Fred Toye ;   Jonathan Nolan ;   Jonny Campbell (I)   Michelle ; MacLaren Richard ; J. Lewis ;  Stephen Williams (I) ; Vincenzo Natali 
Duração: --- minutos
Episódios: 10
Género: Drama ; Ficção Científica ; Thriller
País de Origem: Estados Unidos da América
Classificação: ★★★★★
Sinopse:
O mau-funcionamento de um robô provoca destruição e terror para um grupo de pessoas que passa férias no Westworld, um parque de diversões futurístico para adultos. O Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins) é o brilhante, taciturno e complicado diretor criativo, chefe de programação e presidente do parque, que tem várias ideias para melhorar o local – e métodos difusos de alcançá-las. Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood) é uma típica garota de fazenda que vive na fronteira do parque, e está prestes a descobrir que toda a sua existência não passa de uma muitíssimo bem elaborada e arquitetada mentira.

Opinião:
Recentemente tive acesso à uma nova série que tem vindo a surpreender-me pela positiva. Westworld vem captar a essência de uma sociedade extremamente desenvolvida a nível tecnológico. Esta série poderia ser uma típica recriação de um suposto futuro no qual as máquinas lideravam o mundo, mas não é isso que acontece. Westworld retrata o desenvolvimento de um "escape" quase perfeitamente programado, no qual os convidados pagavam para passar uma temporada. Neste "escape" , no Oeste (West), todos os convidados podiam fazer o que quisessem, como se a vila fosse um jogo perfeitamente real. Neste jogo temos às máquinas e os convidados. Após cada vaga de convidados eram restauradas as definições dos robots e tudo voltava a estaca zero, e se houvesse algum erro os robots eram descontinuados. Apesar de todos os cuidados, o inevitável não dá para evitar (só assistindo para saber  ao que me refiro - não quero dar muitos spoilers). Westworld é um negócio corrupto que lucra demasiado com a ignorância de todos os convidados que fascinam-se por algo que não é real. Retrata muito a sociedade atual que por vezes está demasiado cega perante o mundo, quer a nível social, político e até cultural.

Ainda não estão disponíveis todos os episódios da primeira temporada, mas para aqueles que gostam de assistir as coisas quando saem (como eu), já podem assistir aos sete iniciais.

16 novembro 2016

Os pássaros zangados

Ficha técnica:

Título: Angry Birds
Ano Produção & Estreia: 2016
Direção: Clay Kaytis Fergal Reilly 
Duração: 97 minutos
Género: Ação ; Animação ; Comédia
País de Origem: Estados Unidos da América ; Finlândia
Classificação: ★★★★★
 
Sinopse:
Adaptação do jogo Angry Birds, uma das maiores franquias mundiais de entretenimento, o filme vai contar a história de Red, um pássaro com problemas para controlar seu estresse, o veloz Chuck e o volátil Bomba, amigos que nunca tiveram seus valores reconhecidos. Quando misteriosos porquinhos verdes invadem a ilha onde moram, estes improváveis herois serão os responsáveis por descobrir qual o plano da gangue suína.
Opinião:
Confesso que não sou uma pessoa que assiste filmes de animação, mas este ano saíram vários filmes que captaram a minha atenção e interesse, como foi o caso de Angry Birds. Trata-se de uma grande recriação do jogo com um design gráfico e uma produção fantástica. A sountrack é de igual modo muito boa. Angry Birds é um filme com um ensinamento por detrás, não acreditar em tudo à primeira vista, e que a razão não pertence a ninguém. Há que lutar pelos próprios diretos e proteger a próxima geração. "Drop your nuts and move your butts" uma das citações do filme que fez-me rir imenso. Gostei também das diversas intertextualidades inseridas com grande fluidez. Este é um filme em que os animais pensam e agem como seres humanos, algo que já acontece e muito bem em Zootopia.
 

Esta aventura e luta entre porcos e pássaro superou as minhas espectativas.
 

15 novembro 2016

Do X-Factor para o Mundo


Após uma magnífica participação no X-Factor UK, do qual saiu vencedora, Louisa Johnson vem nos presentear com a sua voz na interpretação de So Good, seu primeiro single oficial. A recente jovem cantora, com apenas 18 anos já colaborou com outros artistas, quer em palco, bem como em singles, como é o caso de Tears com a banda Clean Bandit. Inspirada por Leona Lewis, a artista veio para ficar e demonstrar a sua amplitude vocal, e com certeza terá muito sucesso. 

14 novembro 2016

Até onde vai a Loucura? OPINIÃO : Hermann Broch - A Criada Zerlima

Detalhes da Obra:

Título: A Criada Zerlima | Autoria: Hermann Broch | Tradução: Suzana Muñoz | Capa: Mole | Editora: Quidnovi | Colecção: Biblioteca de Verão #19 | Ano de edição: 2000 | Páginas: 96 | Idioma: Português| ISBN: 9789895547586 
Sinopse:



           Na obra de Hermann Broch, Zerlina não é uma jovem camponesa desperta para os impulsos do corpo, mas uma velha criada, distante já da sua matriz instintual, para quem a estratégia erótica se transformou em estratégia discutiva. Mas o corpo e discurso são ambos modos, embora diferentes, de conhecimento e o exercício de Zerlina consiste justamente na laboriosa tradução do conhecimento instintual em conhecimento intelectual.
           Entre um e outro, como única mediadora, está a sua linguagem, em cuja rudimentaridade procura a sistematização de valores que assistem à sua conversão de «ser erótico» em «ser ético». Como resíduo desta transformação, emerge o valor axial do seu movimento: a culpa. Não a sua – Zerlina permanece sempre exterior ao mundo que observa e relata – mas a de uma sociedade que a ela se exime, justamente porque aceita assimilar e inscrever corpo e culpa. Sobre elas Zerlina, enquanto «ser ético», passa julgamento e delibera ser guardiã e executora da consequência do sistema de valores que identificou.
           É a sua exterioridade a esse sistema que a investe da capacidade de ser juiz e seu carrasco. A sua posição, é uma posição extrema, absoluta, como rudimentar e limite é a sua linguagem. Ambas decorrem de um valor maior e primeiro: a intensa transferência das vivências, que na sua intensidade só podem ser inocência.

Opinião:


 Com uma narrativa baseada em flashbacks contínuos, o livro vem retratar uma sociedade corrupta movida pelo dinheiro. Iniciada com o narratário de uma personagem  "A.", a obra descreve predominantemente o percurso da criada Zerlima, o seu envolvimento com o Senhor de Juno e a exposição das diversas relações extraconjugais que o corrupto mantinha (com Elvira / a mulher do barão, entre outras).
Entregando-se aos pecados capitais, Zerlima tem a esperança de casar com o amante e viver uma vida feliz com ele, mesmo tendo conhecimento das diversas amantes e relacionamentos proibidos. Zerlima não é igualmente santa, também envolve-se com outros homens, por quem apenas sente apenas prazer sexual e não se liga intimamente. A obra retrata a paixão  de uma forma tão perversa e doentia que nem pode ser considerado amor.
Em A criada Zerlima expõe-se com nitidez a cegueira pelo dinheiro, a perversidade, a prostituição e a loucura exagerada por um amor impossível . Retrata de igual modo o determinismo na personagem de Hermengarda que está predestinada ao pecado pelo passado corrupto dos pais.


Uma narrativa que se lê de uma assentada!

13 novembro 2016

Pensamentos Dispersos


http://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwiewqvAz6bQAhUGRhQKHcqfDNkQjRwIBw&url=http%3A%2F%2Fwww.theatlantic.com%2Fnews%2Farchive%2F2016%2F06%2Flightning-deaths-india%2F488261%2F&psig=AFQjCNFqppHpwKdiu2ntzCOmLnA0Pzwnrg&ust=1479157022046948
 
Ouve o som do trovão que se implanta sobre o teu corpo, vibra com o brilho reconfortante do relâmpago numa noite tempestuosa . Sonha , sente e vive com a inspiração da imagem causada por tal fenómeno. Vivemos de fenómenos constantes, que nos criam, desenvolvem e nos fascinam. Fazemos parte de um grande fenómeno em constante mutação e isso é magnífico e especial. Há que dar o devido valor a tudo o que nos rodeia, ao imenso mundo que nos completa enquanto indivíduos num grande universo.

12 novembro 2016

Cultura Poética - Falsidão Amarga


https://www.tumblr.com/tagged/cabelo-ruivo

Olhos verdes de
Falsidão Amarga
No clarão triste
do Horizonte
 
Olhos Vermelhos
de Angústia eterna
escondidos por detrás dos cabelos
Ondulados, Escuros
como sua própria ALMA.
 
Sua alma não o sei
ela a esconde por detrás daquela cara plena
transmitindo paz exterior
Mas sua alma não o sei !
 
Agora nada sei
Não sei se tudo é impressão ou apenas uma ilusão
claro em escuro se tornou
branco em preto se transformou !
 

11 novembro 2016

Precisamos

Perante uma sociedade que julga muito os comportamentos de cada individuo, precisamos de parar de nos cobrar tanto por algo que não é imprescindível. Precisamos de ser livres para fazermos o que quisermos, como desejarmos e aonde nos apetecer. Não temos de dar satisfações de nada a ninguém (só mesmo ao governo que já anda a cobrar demasiado). Temos de ser honestos connosco mesmos. Temos de ser feliz à nossa maneira, sem nos sentirmos obrigados a nada, nem a ninguém. Sejamos livres para fazermos o que nos bem entender, porque liberdade é algo que ainda conseguimos ter.

10 novembro 2016

Assisto e tu? - COLD CASE

Ficha técnica:
Título: Cold Case (1ª Temporada)
Ano Produção & Estreia: 2003
Direção: Alex ZakrzewskiBryan Spicer Greg Yaitanes Kevin Bray ; Mark Pellington ;   Paris Barclay 
Duração: 1035 minutos
Episódios: 23
Género: Drama ; Mistério ; Policial
País de Origem: Estados Unidos da América
Classificação: ★★★★☆

Sinopse:
A detetive Lilly Rush é a única mulher na equipe de homicídios da polícia da Filadélfia, e logo fica responsável em cuidar dos casos arquivados. Agora, ela interroga testemunhas desses crimes, cujas vidas mudaram muito desde então, utilizando as tecnologias atuais e encontrando novas pistas para solucionar os crimes antes impossíveis de serem solucionados. Mas Rush também se prepara para as conseqüências, pois seu trabalho irá abrir velhas feridas e talvez leve os suspeitos a cometerem novos crimes. Sempre que está num beco sem saída, ela pede a ajuda de seu mentor, o tenente Tom Stillman. Também em sua equipe estão o detetive Will Jeffries, que já está na polícia por tempo suficiente para ser o link de Lily com o passado e o detetive Nick Vera, um policial durão que é capaz de fazer de tudo para conseguir uma confissão.

Opinião:
A série é em si muito cativante, visto apoderar-se de épocas remotas para desvendar quem matou, como matou e porque é que matou certo individuo. Cold Case insere-se no universo criminal mas de forma bem distinta. A série vem diferir muito do estilo de narrativa que estamos habituados a assistir em CSI, visto que centra-se mais no passado, em casos arquivados que de certo modo são ressuscitados no presente. Com muito mistério e suspense a mistura, o espetador põe-se a ponderar quem é que matou quem, surpreendendo-se sempre no final. Em Cold Case entramos num universo introspetivo e dramático, uma vez que sentimos todas as emoções proporcionadas pelos protagonistas, e torcemos por um final feliz. Para além disso, a série expõe as dificuldades de ser um agente criminal e os traumas causados por casos que são mal resolvidos. Recomendo piamente a todos, é uma das minhas séries de eleição.

09 novembro 2016

USA Has Fallen?

Perante a situação instável do mundo, com base nas presidenciais dos Estados Unidos da América, os atentados terroristas pelo ISIS, entre outros acontecimentos bem atuais, há que parar um tempo para pensar. Vários países baseiam-se nos EUA como a grande potência  mundial e tudo o que de bom ou mal acontece lá, influenciará o resto do mundo (pode acontecer, mas não é uma verdade absoluta). Precisamos de baixar os ânimos e pessimismos, Trump ainda não começou a sua jornada presidencial e todos já pensam o pior. Vamos dar tempo ao tempo, afinal o Brexit também exaltou o caos e atualmente já nem se faz muito ruído acerca do assunto. Vivemos na imprevisibilidade, e há que tomar pequenas atitudes para influenciar um bem maior. O mundo só está perdido se o ser humano quiser.
 
Trago-vos um filme que retrata um pouco de como frágil o mundo se encontra, mas isso não significa que continuará assim para sempre, há que acreditar que melhores dias virão, e a mudança também por vezes é necessária.

Ficha técnica:

Título: London Has Fallen
Ano Produção & Estreia: 2016
Direção: Babak Najafi
Duração: 99 minutos
Género: Ação ; Policial ; Thriller
País de Origem: Estados Unidos da América ; Reino Unido ; Bulgária
Classificação: ★★★★☆
 
Sinopse:
A história começa em Londres, onde o Primeiro Ministro Britânico morre sob circunstâncias misteriosas. Seu funeral vira um evento para líderes do mundo ocidental. Mas o que era para ser o evento mais protegido da Terra se transforma em uma trama mortal para assassinar os líderes mais poderosos do mundo e devastar todos os marcos conhecidos da capital britânica, deixando uma visão aterradora do futuro. A esperança de deter isso está nas mãos de apenas três pessoas: o presidente dos Estados Unidos (Aaron Eckhart), seu formidável líder do Serviço Secreto (Gerard Butler) e uma agente do MI-6 que não confia em ninguém.

Opinião:

London Has Fallen é um filme que retrata algo que pode parecer improvável, mas por vezes o que parece impossível, acontece. Retrata basicamente a queda de vários lideres mundiais como consequência de um atentado perfeitamente programado e executado. Apesar de atingir várias nações, o filme centra-se mais no presidente dos EUA, e o esquema da sua equipe de segurança para o manter vivo.  É basicamente um filme de perseguição e ação que apesar de ser agradável de assistir acho que não acrescenta muito ao universo dos filmes policiais, visto seguir o mesmo padrão. Acho que poderia ter seguido outro rumo mais interessante na narrativa, se tivesse mostrado a situação de cada país após a queda dos seus lideres, tornava o filme mais humano e fiel à realidade. De qualquer das formas é um filme que nos põe a refletir acerca do mundo e da fragilidade política, económica e histórica.
 

08 novembro 2016

Feel the Music #2


Com uma letra cativante, um som de fundo muito interessante e reconfortante  e uma voz completamente magnifica. Esta música é uma achado, que apesar de já ter visto inúmeras vezes, continua a parecer algo novo e fresco (new & fresh - como os ingleses dizem), i can't get enough of that! "Silhoute" é uma música da banda AQUILO, lançado em 2016 de estilo Indie/ Alternative, cujos são os estilos de música que mais gosto. A banda é de origem inglesa e tem vindo a obter destaque desde 2013, sendo que é um grupo de estilo musical alternativo! Estou completamente obcecado com esta música

07 novembro 2016

OPINIÃO: Isaac Asimov - Cair da Noite

Detalhes da Obra:

Título: Cair da Noite | Autoria: Isaac Asimov | Tradução: Eduardo Saló e Victor Palla | Capa: Mole | Editora: Bibliotex | Colecção: Biblioteca de Verão Diário de Notícias #14 | Ano de edição: 2000 | Páginas: 80 | Idioma: Português| ISBN: 84-8130-235-X 

Sinopse:



           A história se passa no ano de 2049 e a ameaça se refere à chegada da escuridão sobre Lagash, onde não existe noite, e já havia sido descrita pelos Cultistas, mas a explicação científica fora descoberta na última década quando a rota da órbita deste planeta já não coincidia com a Lei da Gravitação Universal.
           O Cair da Noite é uma noveleta de ficção científica de Isaac Asimov, mas trata principalmente do conflito dos personagens ao se depararem com uma nova realidade que pode significar o fim de sua civilização.

Opinião:


 Para quem gosta de ficção cientifica e dos termos astrológicos e demais eventos, trata-se de uma boa obra, com uma narrativa acessível a todos. Através de uma dicotomia entre a origem e o fim, a criação e a morte, Isaac Asimov apresenta-nos a história de marcianos, e uma a cidade criada por um professor que sentiu-se atraído pela inteligência e intelectualidade da vida alienígena. Não podendo coexistir no mesmo ambiente, no mesmo planeta, a obra finaliza com uma despedida entre os marcianos e o seu ilustre criador da cidade dos Tweenies.
Para além da vertente extraterrestre, a obra também centra-se no “eclipse solar”, desde o fim do mundo ao domínio do ser humano pela escuridão. A escuridão surge como algo que transforma os indivíduos. Todas as pessoas conseguem coexistir na escuridão durante certo período de tempo, mas após um contacto alargado, o ser humano acaba cingindo-se à dor da loucura e à ausência da luz. Abordando fenómenos astrológicos, a obra faz menção aos seis sóis e as profecias associadas a eles. Na segunda vertente, a narrativa um pouco descritiva e enfadonha, perdendo-se na maioria das vezes o cerne da questão.
Para fãs de ficção cientifica a obra é muito interessante e adiciona novos conhecimentos do mundo sobrenatural.

06 novembro 2016

Pensamentos Alternativos


Os batimentos cardíacos acelerados continuam e introspetivamente quebrei a promessa, voltei a apaixonar-me facilmente.  Voltei a sentir-me bem , sorri, fui feliz, por tempo limitado. Conheci, gostei, amei, cai e vou recompondo-me. A vida não está fácil!

05 novembro 2016

Cultura Poética - Nuvens


Sinto as nuvens no meu parapeito,
negras, brancas
são tantas que nem sei quantas,
e fazem meu peito bater de tamanha solidão. 

São nuvens pretas, neutras, 
pedras caídas, granizo solidificado 
calcado, parado, 
tantas vergas, tantas pregas, 
neste coração desesperado. 

São ferro deformado, conturbado, 
picos de dor, 
sem cor, 
sem estado, sem espaço, 
sem amor. 

É a luz caída, perdida, 
fechada e trancada, 
estrada ESQUECIDA, 
a estrada queimada.  

São montes, foram montanhas, 
os vales passaram ruínas, 
pequenas meninas, 
fortes espadas, 
das nuvens desalmadas. 

O Sol cai, a cor desvanece, 
só preto existe, 
O branco desaparece, 
nuvens permanecem. 

 É noite, finalmente!

04 novembro 2016

Daily Quote #1

 
Se tiveres que partir, vai e não penses duas vezes - mas espera - despede-te de quem mais amas, porque o "hoje" a nós pertence, o "ontem" já não volta & o "amanhã" não é garantido. Não deixes de dizer um último Adeus a alguém que podes nunca mais voltar a ver.
 

03 novembro 2016

Assistir ou Não? Stranger Things

Ficha técnica:
Título: Stranger Things (1ª Temporada)
Ano Produção & Estreia: 2016
Direção: Matt Duffer ; Ross Duffer; Shawn Levy  
Duração: 402 minutos
Episódios: 8
Género: Aventura ; Terror
País de Origem: Estados Unidos da América
Classificação: ★★★★

Sinopse:
Situada no interior de Indiana, na década de 1980, a história inicia com o desaparecimento de Will, um menino de 12 anos. Enquanto a família e os amigos tentam entender o que aconteceu, o chefe de polícia Hooper inicia uma investigação e se depara com experiências secretas conduzidas pelo governo numa base militar no subúrbio da cidade. Ao mesmo tempo, os amigos de Will - Mike, Dustin e Lucas - tentam localizá-lo por conta própria, mas acabam encontrando Eleven, uma menina misteriosa, com estranhos poderes.
 Opinião:
A série promete e não fica aquém das espetativas. Stranger Things é daqueles fenómenos instantâneos que cativa o público em pouco tempo devido ao destaque dado a simples pormenores. Ao obter grande visibilidade, a série incita muitas espetativas para um possível espetador, visto que nem tudo o que "todo o mundo" assiste seja algo que vá influenciar uma pessoa a gostar ou não da série. Ao retratar uma época retrógrada, os anos 80, a série consegue inteiramente cumprir e superar as expetativas provocadas pelo trailer através dos efeitos visuais, os sons, os momentos de suspense e de sustos inesperados. Ao optar por enredo e temática simples, os produtores tomaram um grande risco que compensou no seu todo. A série retrata basicamente a busca pelo Will que desparece misteriosamente, sendo que ao longo dos episódios acontecem "coisas estranhas" como a morte de pessoas levadas por um monstro, o surgimento de uma "criança especial" e as revoltas entre personagens. A série ganha outro valor ao unir todos os acontecimentos e deixar de ser uma simples série para ser um grande filme.


Porque assistir?
  1. É uma série introspetiva que faz todo o espetador acreditar mas ao mesmo tempo suspeitar dos acontecimentos ocorridos.
  2. Para fanáticos de ficção cientifica (e não só), Stranger Things retrata acontecimentos misteriosos, com pessoas que também são misteriosas, tornando os episódios inquietantes.
  3. A sensibilidade das personagens faz o espetador torcer por um final feliz.
  4. É uma série completamente diferente do que estamos habituados a ver.

02 novembro 2016

Cultura Filmológica - INTO THE WILD

 Ficha técnica:
Título: Into The Wild
Ano Produção & Estreia: 2007
Direção: Sean Penn
Duração: 148 minutos
Género: Drama ; Aventura ; Biografia
País de Origem: Estados Unidos da América
Classificação: ★★★★
Sinopse:
Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após 2 anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca. 

Opinião:


Um filme que arrepia ao retratar uma história real que parece algo inimaginável. Com uma soundtrack fantástica, o filme reflete na perfeição a busca pela felicidade , fugindo a estigmatização de uma sociedade orientada para o consumo e valorizando pouco o que nos rodeia. Com uma sensibilidade surpreendente, o filme cativa e emociona quem assiste ao captar o apreço pelos outros com a sua simplicidade. Coleciona memorias, não coisas, o filme retrata cruamente e honestamente esta expressão. Recomendo muito!

"Happiness only when shared"

01 novembro 2016

Feel the Music #1




Se és uma pessoa eclética e estás à procura de algo diferente, algo com uma harmonia muito interessante e cativante, Fleurie é uma boa opção. Com uma batida completamente diferente do que observamos atualmente,  a artista conta com vários videoclips no seu canal e não só. Tive contacto com a cantora por mero acaso e a sua sinfonia captou-me logo. Tenho de admitir que nem todas as canções conseguem fascinar-me, mas o som é tão aconchegante que dependendo do estado de espírito a música pode ajudar bastante. Dar uma olhada nunca fez mal a ninguém , espero que gostem desta sugestão.